Para lidar com os principais desafios de TI, lideranças precisam potencializar a segurança, a colaboração em equipe e o armazenamento de dados na nuvem.

Não é novidade que,  desde o início, em 2020, a pandemia do coronavírus fez com que empresas se esforçassem para superar os principais desafios de TI, ainda mais com a recém-vigência da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

Com o aumento do trabalho remoto (teletrabalho ou home office) como alternativa para a continuidade dos serviços, dados sensíveis corporativos e de clientes tornaram-se mais propensos à sofrerem ameaças digitais, uma vez que apenas 30% das empresas preparam seus funcionários para a LGPD. Como consequência, o número de ciberataques aumentou, visto que a maioria dos dispositivos não possuem protocolos de segurança digital estabelecidos.

Para lidar com os principais desafios de TI dos últimos 12 meses, estudos revelam que lideranças de todo o globo precisam potencializar a segurança, a colaboração em equipe e o armazenamento de dados na nuvem.

Lideranças adaptam prioridades para superar os principais desafios de TI, segundo pesquisa

De acordo com a pesquisa “Accelerating Digital Agility“, realizada pela Cisco, lideranças e tomadores de decisão de TI pretendem maximizar e impulsionar os investimentos em inovação após um ano de incertezas.

A pesquisa foi realizada em novembro do ano passado e entrevistou mais 23 mil CIOs e tomadores de decisão de TI (ou ITDM, na sigla em inglês) de mais de 34 países.

O estudo revelou que em 2020, lideranças globais foram desafiadas a acelerar suas capacidades digitais e de nuvem. Além disso, estas se viram na obrigação de proteger suas organizações de uma crescente lista de ameaças de segurança em expansão.

Vale lembrar que o Brasil foi o segundo país com mais vítimas de stalkerware em 2020. Apenas no primeiro semestre do ano passado, o Brasil sofreu mais de 26 bilhões de ataques digitais.

Segundo o estudo, para preparar seus negócios para o sucesso, líderes de TI adaptaram prioridades e estratégias, focando em questões para superar os principais desafios de TI – nuvem, segurança e colaboração.

Para isso, faz-se preciso que as empresas invistam em ferramentas seguras de colaboração para manter as forças de trabalho produtivas; maximizem os investimentos em tecnologia feitos no último ano; proporcionem as melhores experiências de usuário para empregados e clientes; adotem definitivamente a nuvem e o modelo “como serviço”; e lidem com questões corporativas e sociais usando a tecnologia.

Futuro do trabalho: Segurança e experiências de colaboração são fundamentais

O relatório também concluiu que para se prepararem para o futuro do trabalho, tecnologia e mão-de-obra humana serão aliadas, será preciso que o acesso aos dados pelas equipes seja altamente seguro. Além disso, estes precisarão vivenciar melhores experiências de colaboração a fim de prosperar como força de trabalho híbrida.

Nesse contexto, vale relembrar estudo da Right Management que revela que trabalhadores motivados produzem até 50% mais.

Segundo a “Accelerating Digital Agility”, 96% dos CIOs e tomadores de decisão em TI brasileiros acreditam ser essencial manter a segurança ,o controle e a governança sobre dispositivos, redes, nuvens e aplicações voltados ao usuário. Tal afirmação foi feita mesmo que a maioria dos entrevistados (61%) esteja incerta quanto ao futuro do trabalho.

Quanto ao cenário de ameaças, ampliado pela força de trabalho distribuída, 97% dos brasileiros entrevistados afirmaram que a segurança é um fator primordial. Segundo eles, é fundamental contar com protocolos de segurança internos para proteger dados sensíveis e ferramentas de trabalho contra ameaças digitais.

A partir dos dados acima apresentados, mais uma vez fica evidente a importância de empresas investirem em segurança da informação e em treinamentos constantes para motivar funcionários e ensiná-los como manipular dados internos e de clientes a fim de mitigar riscos.

Mais de 3/4 dos CIOS e ITDMs concordam que a experiência do cliente deve ser mais prazerosa do que satisfatória

A experiência do cliente (customer experience ou CX, em inglês) também foi um assunto retratado na pesquisa.

O estudo concluiu que empresas devem otimizar o atendimento ao cliente a fim de elevar suas respectivas experiências. Para tal, estas devem se adaptar aos principais desafios de TI, estando em dia com ambientes cada vez mais distribuídos, complexos e dinâmicos.

Além disso, 81% dos CIOs e ITDMs brasileiros concordam que a CX deve ser mais prazerosa do que satisfatória. A porcentagem corresponde a mais de 3/4 de todos os entrevistados.

95% das lideranças brasileiras acreditam que para proporcionar uma CX de excelência é preciso garantir desempenho consistente de aplicação tanto nos aplicativos como na infraestrutura. Estes também consideram ser de extrema importância tornar a infraestrutura tão dinâmica quanto os aplicativos de software para atender às necessidades em constante mudança relativas a normas e otimização de aplicações e desenvolvedores.

Contudo, apesar de a CX precisar ser prazerosa, quase todos (96%) consideram ser importante ou muito importante manter a segurança a partir da aplicação na direção da infraestrutura, a fim de garantir a conformidade dos negócios sem retardá-los.

Mais uma vez fica evidente a necessidade de empresas focarem em seguranças de dados. Também fica claro que a excelência na experiência do consumidor depende de como esses dados serão manipulados durante o atendimento.

Nuvem híbrida e soluções SASE estão entre os principais desafios de TI, segundo lideranças

Para suprir as necessidades de agilidade, escalabilidade, velocidade e segurança, CIOS e ITDMs estão adotando ambientes de nuvem híbrida e soluções SASE (Secure Access Service Edge) como tentativa de dar resiliência aos negócios. No entanto, não há uma solução uniformizada, o que faz com que estes sejam um dos principais desafios de TI.

Embora 94% dos CIOs e ITDMs  do Brasil concordem que é importante oferecer liberdade de escolha quando se trata de ambientes de nuvem – seja on premise, nuvem pública, privada ou SaaS, 96% também consideram essencial oferecer um modelo operacional consistente em todos esses ambientes.

65% das lideranças brasileiras em TI adotaram soluções de SASE porque estavam investindo em aplicações na nuvem que precisavam ser protegidas, porque gostam de estar alinhados às melhores práticas do mercado (56%) ou porque sua força de trabalho permanecerá distribuída (34%).

Segundo a pesquisa, os clientes esperam ter uma experiência de consumo em nuvem, independentemente de suas soluções estarem armazenadas on premise ou na nuvem. Isso gera uma ampla adoção de soluções “como serviço”. Entre os participantes da pesquisa, 73% adotaram soluções “como serviço” e 76% usam modelos com flexibilidade de utilização.

A pesquisa concluiu ainda que 89% dos brasileiros acreditam que o modelo “como serviço” vai ajudar a melhorar a experiência tanto dos usuários finais quanto das equipes de TI, contribuindo para que suas organizações obtenham consistência operacional. Além disso, 91% afirmam que o modelo “as a service” vai propiciar melhores resultados para os negócios, e 89% querem que soluções “como serviço” simplifiquem processos e eliminem riscos.

Tecnologia será fator determinante para empresas tratarem de questões internas e externas

Por fim, a pesquisa concluiu que a tecnologia será determinante para que CIOs e ITDMs liderm com retenção de talentos, iniciativas corporativas internas e questões mais amplas. A maioria das lideranças em TI (85%) acredita que a capacidade de atrair e reter talentos será crucial no mundo completamente digitalizado.

49% dos entrevistados afirmaram que desejam qualificar suas atuais talentos e 46% desejam investir em novos talentos nos próximos 12 meses.

Além disso, 90% planejam assumir iniciativas internas em 2021, incluindo sustentabilidade (50%), saúde mental dos funcionários (50%), privacidade (47%) e diversidade e inclusão (47%).

No Brasil, os índices são: sustentabilidade (52%), saúde mental dos funcionários (57%), diversidade e inclusão (51%) e privacidade (46%). Entre os assuntos sociais externos mais citados foram desigualdade social (41%) e desinformação e fake news (42%).

DNK é número um em soluções para call center focadas em suprir os principais desafios de TI

Alinhada às últimas tendências e necessidades do mercado, a DNK oferece as melhores soluções para call center e contact center. Para isso, a empresa conta com o uso de tecnologias de última geração e com uma equipe de profissionais experientes.

Além de máxima excelência e segurança no atendimento ao cliente, a DNK preza pelo cumprimento das normas exigidas pela Lei Geral de Proteção de Dados. Para tal, a empresa fornece aos seus parceiros ferramentas e plataformas com funcionalidades inovadoras e customizáveis, com opção de armazenamento de dados em nuvem, que diminui consideravelmente as chances de vazamento de informações.

Compreendida a importância de preservar dados sensíveis de clientes e empresas, a DNK orgulha-se em apresentar sua mais nova solução de data loss prevention (ou prevenção de perda de dados, em Português), a Flashsafe DNK.

A Flashsafe DNK trata-se de um software para máquinas de operadores, de forma indetectável, que permite gerenciar como operadores manipulam dados internos e de clientes. Com preço atrativo e fácil instalação e manutenção, a solução apresenta o melhor custo-benefício do mercado.

A DNK também compreende a importância de oferecer uma experiência satisfatória tanto para operadores de call center quanto para seus clientes. Para tal, a empresa conta com soluções como gamification, oferecida em parceria com a Collab, e a URA humanizada. Além disso, a empresa investe constantemente em pesquisas de satisfação.

Com os serviços e produtos da DNK, o atendimento ao cliente é realizado através de uma plataforma integrada omnichannel, que conecta todos os canais de atendimento (WhatsApp, voz, web e chat e dentre outros) com rápida recuperação de informações e dados do cliente, de forma a oferecer uma gestão completa e satisfatória da jornada do cliente com resultados diferenciados.

A empresa é reconhecida pelo mercado e premiada pelas suas soluções e cases de sucesso. Campeã da categoria  “Melhor Solução de Autoatendimento” no XXI Prêmio Consumidor Moderno e vencedora do troféu prata no Prêmio Cliente SA 2020, na categoria “Líder em Estratégia de Inovação”, em parceria com um cliente, a DNK compreende que um consumidor bem atendido é o segredo para o sucesso do atendimento.

Leave reply:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *